Compare preços:

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Preparação Audi A3 Turbo




A injeção eletrônica tem dificultado muito o trabalho de preparadores menos especializados no Brasil. Na Europa e nos Estados Unidos ocorre o contrário: geralmente os preparadores coçam a cabeça quando têm de encarar um velho carburador. Claro que nestas afirmações há certo exagero -- no Brasil o quadro tecnológico no ambiente de preparações está lentamente mudando. E também na Europa, e principalmente nos EUA, sempre existem os especialistas ou fãs de carburadores.




Sem desmerecer qualquer um dos sistemas, todos já sabem das vantagens da injeção se comparada ao carburador, mesmo em preparações -- regulagem mais precisa, menor manutenção e maior adaptabilidade às diversas condições. Mas o carburador tem ainda suas indicações em algumas aplicações, algumas até por simplicidade.





E o que isso tem a ver com a preparação do Audi A3 turbo? Tudo! Um carro turbo em que a central eletrônica controle a pressão do turbo pode ser facilmente preparado através de remapeamento -- e é justamente esse o caso do A3 turbo.




O processo é simples: como a injeção controla a pressão do turbo, a mistura e a curva de avanço da ignição, estamos com "a faca e o queijo na mão" -- é só cortar e servir. Na programação da injeção, a pressão do turbo pode ser alterada, elevando-a, a mistura e o ponto de ignição são reajustados e está pronta a preparação, sem sequer tocar no motor.



Os resultados são surpreendentes e em nada lembram os ganhos pífios conseguidos só com o remapeamento em carros naturalmente aspirados. A Audi conseguiu mais 30 cv sobre o motor de 150 cv do A3 quase que apenas reprogramando a central de injeção. Claro que um fabricante sempre vai além, até para manter a confiabilidade nos parâmetros originais, mas isso não invalida o método.



Caso ainda restem dúvidas sobre os méritos do remapeamento nestes casos, podem-se encontrar facilmente preparadoras européias que oferecem chips para elevar a potência do A3 de 150 cv para até 210 cv, sem qualquer alteração mecânica, e ainda oferecem garantia de um ano para o motor novo.





Mas 60 cv a mais não reduziriam em muito a vida útil do motor? Neste caso não é bem assim. Na verdade a vida útil é pouco alterada, e a explicação reside no fato de motores turbo de fábrica terem uma margem de projeto um tanto mais larga que motores aspirados. Assim, é possível aumentar a potência um pouco mais sem sair da margem de segurança.




Há outro fator que ajuda a manter a vida útil dentro de parâmetros aceitáveis: o turbo dos motores VW/Audi não se mantém na pressão máxima por quase toda a faixa de rotação. Na verdade, nos regimes de potência máxima a pressão do turbo é bem menor que a máxima, atingida apenas durante as rotações medianas. Essa característica é mantida no remapeamento, assim o motor é poupado em regimes mais severos.




Para se ter idéia, a pressão do A3 de 180 cv é de cerca de 0,75 kg/cm2, mas pode chegar a 0,9 kg/cm2 em determinadas condições. Com um remapeamento comum para 210 cv, a pressão máxima salta em algumas condições para elevados 1,2 kg/cm2, mas na rotação de potência máxima não passa de 1 kg/cm2 -- o que não abusa da margem de segurança do motor.



Como o motor do A3 de 180 cv é praticamente o mesmo do A3 de 150 cv, os pacotes oferecidos por essas preparadoras sem alterações mecânicas ficam também limitadas a 210 cv. Mas por que as remapeadoras não vão mais adiante e aumentam ainda mais a pressão do turbo e, conseqüentemente, o desempenho do carro?
A resposta óbvia seria: porque aí será excedida a margem de segurança do motor e a vida útil cairá drasticamente. Mas não é bem isso que acontece. Outra resposta possível seria que, com uma taxa de compressão de 9,5:1 e usando gasolina, a pressão ficaria tão alta que causaria detonação -- mas quem pensou nesta ficou ainda mais distante.




Na verdade, quando bem regulado com sistemas confiáveis, um motor com turbo adaptado pode operar com taxa de compressão de 10:1, gasolina e pressão de até mais que 1 kg/cm2 sem detonação. Que dirá com taxa de 9,5:1 e um ótimo sistema de injeção, já cheio de recursos dedicados ao turbo, como o usado no A3?


Então, o que limita? O turbo muito bem dimensionado para uso em rua do A3 é o fator limitante. Esse turbo é bem pequeno, dimensionado para ter sua eficiência máxima em rotações intermediárias, portanto entra muito " cedo" em operação, mas em altas rotações já está em seu final de escala. Com a elevação de pressão ele realmente chega ao limite -- não o limite de resistência, mas de funcionalidade. Acima de certa vazão, a eficiência do turbo cai drasticamente e ele funciona mais como uma restrição que como um turbocompressor. Literalmente "amarra" o carro.




Portanto, para elevar a potência acima dos 210 cv, é recomendável usar um turbo um pouco maior. Não convém exagerar: um turbo grande demais não terá as boas característica de entrada precoce e pouco retardo que o turbo original possui. Um bom dimensionamento deve ser feito.



É claro, as remapeadoras européias sabem disso e já fornecem chips remapeados para até cerca de 235 cv, usando pressão de 1,25 kg/cm2, chegando a alguns momentos a 1,4 kg/cm2 -- devidamente acompanhados de um turbo apropriado. E ainda não está em risco a resistência do motor. Mas, aí sim, chegou-se ao limite?



Ainda não: neste ponto chega-se ao limite de detonação para a taxa de compressão deste motor e para as possibilidades dos sistemas usados. Mas pode-se usar gasolina de alta octanagem, Premium ou de aviação (esta não recomendada para uso em rua, devido aos cuidados especiais que requer afim de evitar a formação depósitos de nafta prejudiciais ao motor), o que permite elevar um pouco mais a pressão sem risco de detonação.



E atentas a isso, as remapeadoras também têm chips apropriados a gasolina de alta octanagem, elevando a pressão para cerca de 1,4 kg/cm2 e chegando a picos de 1,6 kg/cm2. Aí sim chega-se ao limite do razoavelmente suportável pelo motor: acima disso sua vida útil cai drasticamente e a preparação para suportar mais agregaria muito custo, pois teria de incluir reforços nas peças móveis do motor.
Apesar dos grandes ganhos e da praticidade e segurança desta preparação, é preciso ter em mente que um motor preparado avança sobre os limites de fábrica, tornando-os mais estreitos. Assim, é bom ter cautela e perícia ao exigir do motor, pois ele não tolerará erros, refletindo diretamente no bolso do proprietário.




A maior dificuldade está em implementar uma preparação deste tipo no Brasil. Como os leitores assíduos já devem saber, um bom remapeamento dedicado, ou seja, feito para aquele carro específico, considerando as condições em que ele rodará, o combustível que usa e o estilo de pilotagem do proprietário, é sempre mais eficiente que um chip já pronto.



Esta seria a solução caso não houvesse empecilhos técnicos. Existem no Brasil pouquíssimos profissionais realmente habilitados a fazer um remapeamento dedicado deste tipo na precisão necessária. Muitos tornam as curvas de alimentação e ignição mais grosseiras, reduzindo o número de pontos mapeados. Ou seja, o resultado fica pior que um chip já pronto.



Para o A3, cujo remapeamento é comum e feito em grande volume por várias remapeadoras no mundo, mesmo chips importados obtêm bons resultados no Brasil com nossa gasolina. Na verdade, muitas delas dispõem mesmo de programação específica para carros que rodarão por aqui.



Outros complicadores podem surgir, mas são de solução mais simples. Um seria o caso dos bicos originais não conseguirem fornecer toda a vazão de combustível que está programada no chip para as preparações mais fortes. Nesta ocorrência, basta trocar os bicos por outros de capacidade adequada.



O outro complicador poderia ser os dutos de ar usados para admissão não terem geometria adequada à nova vazão mais alta. Uma curva muito fechada, por exemplo, pode impedir que a pressão mais alta seja atingida. Neste caso, basta trocar os dutos que oferecem resistência por outros com geometria mais suave ou diâmetro maior.



Como toda preparação não deve envolver somente o motor, vão as recomendações de praxe para os demais componentes como freios, suspensão, câmbio, rodas e pneus. As soluções são simples de imaginar: basta copiar os sistemas dos próprios A3 preparados pela Audi, como o kit AVR oferecido no Brasil pela própria marca (o mais potente chegava a 232 cv). Para as potências não atingidas pela Audi, podem-se encontrar conjuntos feitos por preparadoras européias, que inclusive disponibilizam kits completos.



O conjunto de embreagem deve ser trocado por um reforçado e com maior carga, no caso das preparações com mais de 210 cv. Isso aumentará a durabilidade e eficiência de acoplagem do conjunto, em prejuízo do conforto, pois será necessário maior força no pedal para acioná-la. O câmbio original agüentará todas as preparações, desde que usado com cautela.



Solavancos muito fortes podem fazê-lo superar a margem de segurança que terá com a preparação mais forte em condições de aceleração máxima. Ou seja, nada de pisar muito fundo em pisos irregulares. O câmbio pode ser refeito com engrenagens reforçadas, mas será um serviço um pouco caro para ser efetuado com qualidade. Contudo, isso trará tranqüilidade caso seja efetuada a preparação mais forte e se queira mesmo usar o carro sem limites.



Os pneus recomendados são 225/50 aro 16 para 210 cv, 235/45 aro 17 para 235 cv e 245/40 aro 17 para 250 cv. É óbvio que para aplicação destes conjuntos deve-se considerar o estado dos pavimentos onde o veículo vai rodar.



Apesar de simples, as alterações não saem barato. Mesmo assim, nada que ultrapasse as expectativas de quem está disposto a bancar a relação custo-benefício de um A3 de 180 cv. Se aplicadas às preparações mais fortes, transformarão o pequeno A3 em um verdadeiro "foguete de bolso", capaz de dar bons sustos em esportivos tarimbados.










OBS. toda preparação tem seus prós e contras, e para os que querem ganhar muita potencia num carro original, ai vai uma dica do chefe dos mecanicos da EUROBIKE de Ribeirão Preto,

 
 
(Não recomendamos por vários motivos.



Desgaste maior da bateria, semi-eixos, outras coisas.
Tive vários casos de queima de módulos, tanto do motor como do câmbio, onde não são peças baratas e tem que ser fabricada conforme o veículo, ou seja, demora mais de 30 dias para fabricar.)




Não se iluda com ganho de muita potencia, prepare o seu carro com conciência!!!

28 comentários:

  1. Tenho um a3 180 com filtro sportivo, se eu passar ele para esta preparação de 210 cv, irei perceber diferença? ele me trara problemas na segurança? sera que vai estragar muito o carro?

    ResponderExcluir
  2. Desculpe a demora na resposta, estive fora por um bom tempo, mais uma boa pergunta nunca pode ficar sem uma resposta.
    Eu tambem possuo um audi a3 180 original, o carro na verdade não precisa de ser alterado ja é muito forte, porem se vc quer saber se ira perceber diferença na mudança de 180 pra 210cv, é só vc dirigir um audi 150 e tentar comparar com o seu 180, a diferença é muito grande, porem uma modificação no veiculo tem que ser feita numa oficina boa e ser testado no dina pra saber se realmente tem o 210cv, e se vc querer andar com o pé embaixo e sempre em alto giro tera um desgaste maior mesmo com o carro original.
    O meu audi é tiptronic não passei pra 210cv pois sei q o cambio não iria aguentar, o aumento de torque no cambio é muito grande, sera que o seu carro ira estragar? vai diminuir a vida util do motor sim isso com certeza, e o desgaste de peças tb com certeza, pricipalmente desgaste do freio.
    Mais se vc quizer um carro só pra curtir e não abusar dele, não sofrera desgastes exagerados.

    ResponderExcluir
  3. Que legal esse site! Gostei muito das materias e me interessei por essa em especifico pois possuo um a3 tbm.
    Deixa eu fazer uma pergunta.
    Tenho um A3 turbo 150HP 2005 cambio mecanico. recentemente instalei filtro K&N inbox, escape de 2,5 polegadas desde a turbina até la atras c/ 2 abafadores e velas denso iridium. Nessa configuraçao meu carro bateu 177 hps (motor), ou seja um ganho de 27 cavalos aferidos num dinamometro aqui no RJ q tem acertado a potencia de varios carros d amigos meus (inclusive batendo certinho com a potencia de carros originais). Entao, ontem instalei o unichip nele e la no dinamometro da Multi (autorizada Unichip aqui do RJ) meu carro bateu 230 cvs no dino. Eu achei muito,mesmo eu rodando de gasolina podium, mas depois irei passar meu carro no outro dino (o primeiro onde fui qdo da primeira alteraçao de filtro-escape) pra fazer a comparaçao de dinamometros.
    Em vista disso, o que o senhor acha desse ganho todo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite. Uma dúvida. Onde conseguiu a unichip ?! Ou quem fez? Obrigado

      Excluir
  4. Antonio obrigado por nos visitar, fico muito contente em saber que estão gostando do site.
    Bom a respeito do seu carro, parabens pela preparação no seu veiculo, gostei muito do que você fez, na preparação voçe fez todoo necessario pra se ter um brinquedinho muito agradeavel, pra ficar mais forte o correto é trocar a turbina por uma maior e algumas coisas mais, (mais ai teria que abrir o motor coisa que gastaria muito dinheiro).
    Com tudo que você fez no carro mesmo que de diferença em um outro dino, a dierença sera muito pouca, a potencia é pra estar perto dos 230cvs sim, o audi consegue ter um ganho muito alto de potencia somente com chip e algumas preparações que você ja fez (o a3 é um dos melhores carros pra se obter um alto ganho de potencia com chip), o seu carro sem sombra de duvidas é pra estar na casa dos 230cvs, se puder me informar a potencia no outro dino agradeço.
    Em tudo que você fez só ficou devendo em uma coisa, seu carro ficara ainda um pouco melhor com a instalação de um intercooler. um abraço Antonio e tudo de bom na sua preparação.

    ResponderExcluir
  5. Antonio tira uma duvida minha? qual vela você esta utilizando? a iridium power, iridium tough ou iridium racing? muito obrigado novamente...

    ResponderExcluir
  6. Opa, tranquilo! Eu uso Denso iridium Power IK20 com 0,4mm. Obrigado por me esclarecer quanto minha duvida!!! É porque esse ganho todo com o unichip parece surreal pra algumas pessoas. Quanto a turbina, com certeza eu colocarei uma K04 no lugar da original do meu carro (k03) assim q ela abrir o bico (espero q demore um pouco ainda hehehe). E pode deixar que voltarei aqui pra lhe dizer a potencia aferida no outro dinamometro. Muito obrigado e mais uma vez parabéns pelo site!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Apenas um filtro esportivo num 180 igual o meu original de tudo,posso esperar ganhos?

    ResponderExcluir
  8. ola, amigo tenho,passat turbo 150cv , colquei uma turbina k04, e acabou fritando meu pistao, e o carro falhava, isso seria , falta de combustivel, eu mexendo na turbina , teria que mexer na alimentaçao tambem

    ResponderExcluir
  9. ola, possuo hoje um Audi A3 1.8T 180CV 2003. Estou pensando em instalar os seguintes componentes sem mecher na precao do turbo e deixa-la original. Fuel Tech FT300 + Chip + Filtro + Escapamento. Bom o que vc acha mais ou menos que eu vou gastar ?? e quantos cavalos posso ganhar com essa simples preparacao ?? A preciso mecher na precao do turbo ou posso deixar a original mesmo ?? obrigado

    ResponderExcluir
  10. BOA TARDE
    TENHO UMA A3 150 CAVALOS AUTOMATICA E FIZ O CHIP NA POWERFUL MELHOROU UM POUCO MAS ACHO ESTA FRACA...TERIA ALGUMA RECOMENDAÇÃO PARA MELHORAR(FILTROS VELAS ESCAPE) OU O CAMBIO NÃO IRIA AGUENTAR...

    ResponderExcluir
  11. ola tenho um audi a3 turbo 150 cv , c dar pau nele o caracol da turbina avermelha fica uma brasa , alguem poderia me ajudar????? é normal... fb.souzasilva@hotmail.com

    ResponderExcluir
  12. SALVE A TODOS.... POXA QUE SITE BACANA MESMO.... PODEMOS TIRAR DÚVIDAS, EXPERIENCIAS, ETC... SEMPRE TIVE CARROS PREPARADOS, MAS TODOS COM MOTOR AP... AGORA COMPREI MEU PRIMEIRO A3 TURBO, MAS É MUITO DIFERENTE DOS FUÇADOS, TAMBÉM GOSTARIA DE FAZER MELHORIAS PRA FICAR MAIS GOSTOSO DE ACELRAR... ESTOU PROCURANDO OPÇÕES DE CHIPS EM SP E ENCONTRO POUCAS OPÇÕES... GOSTARIA DE SABER QUAL É O RECOMENDÁVEL, SE TEM ALGUMA EMPRESA QUE FAZ O SCAP E O FILTRO TAMBÉM... FICO NO AGUARDO E AGRADEÇO A TODOS... BOAS ACELERADAS...

    ResponderExcluir
  13. Só trocar as velas melhora o desempenho?

    ResponderExcluir
  14. site nota 10. tenho um passat 150 cv e esta me ajudando muito a tirar minhas dúvidas. valeu

    ResponderExcluir
  15. OLA !TENHO UM A3 180CV TIP 2005. QUAL É A KM MÉDIA PARA TROCAR AS VELAS ORIGINAIS ?
    VALE A PENA USAR AS VELAS SUPER 4 DA BOSCH ?

    ResponderExcluir
  16. TENHO UM AUDI A3 1.8 20V ASPRO, O QUE CONSIGO GANHAR DE POTENCIA NA ELETONICA??? SITE TOP.

    ResponderExcluir
  17. PARABENS PELO SITE,,, RECENTEMENTE COMPREI UM A3T 150CV E JA VEIO COM FILTRO K&N INBOX,,,BOM PERCEBI QUE NA PISTA A UNS 180kmh VC PISA E O CARRO ENGOLE E PERDE POTENCIA AI VC VEM DOSANDO NO ACELERADOR E ELE VOLTA A GANHAR POTENCIA,,, OUVI DIZER QUE PODE SER O SENSOR MAF ,, ALGUEM AI PODE ME AJUDAR OBRIGADO,,

    ResponderExcluir
  18. Primeiramente, parabéns pelo site. tirei várias dúvidas, e agora estarei realizando alterações no meu audi a3 150 cv. turbina K04, escapamento inox 2,5, chip. velas e Intercooler frontal.... gostaria que chegasse a uns 230 cv.
    posteriormente retorno
    abraço a todos
    Luiz- Joinville-sc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola amigo responda como ficou seu carro muitos gostarão de saber se deu muita diferença, agradeço pelo respeito ao nosso site, abraço

      Excluir
  19. como fazer o remapeamento da central eletronica que controla a pressao do turbo ou reprogramar a central de injeçao? FRED

    ResponderExcluir
  20. Ola amigos .. peguei uma audi a3 150 cv 1.8 turbo .. esperava mais dela nao tem arranque ponteiro nao desce do 3 mil ... ela espirra muito facil nao pega pressao ... e em alta nao espirra .. queria saber mais sobre isso .. estava fraca tem q por 1 na subida ... da pra regulae a turbina ? Ela ests vazando ar nao sei aonde ... alguem sabe me explicar ou ja teve esses problemas ? Vlw rapazeada ..

    ResponderExcluir
  21. Boa noite, tenho um a3 2000 150cvs aut, está com 100mil kms, o motor está sequinho e o câmbio tb, queria aumentar a potência dele pra uns 180 ou 200CVS, porém tenho medo de estourar o câmbio dele ou o motor. Já troquei o oleo do câmbio dele com 90 mil e coloquei o original. O que você acha? Está muito rodado pra mexer?

    ResponderExcluir
  22. Boa noite, tenho um a3 2000 150cvs aut, está com 100mil kms, o motor está sequinho e o câmbio tb, queria aumentar a potência dele pra uns 180 ou 200CVS, porém tenho medo de estourar o câmbio dele ou o motor. Já troquei o oleo do câmbio dele com 90 mil e coloquei o original. O que você acha? Está muito rodado pra mexer?

    ResponderExcluir
  23. Ola queria saber tenhi A3 150cv
    A reprogramação de modulo parece que faz aumentar a pressão da turbina automaticamente correto?

    Minha dúvida seria: eu anulei a WASTERGATE (travei) e esta dando
    1,2 a 1,4 bar (uso K03)

    Quando eu for "REMAPEAR"
    (não e chip não)
    O remapeamento vai se ADEQUAR a pressão já travada da turbina ?
    Ou tenho de destravar watergater

    Ou terei

    ResponderExcluir
  24. Ola queria saber tenhi A3 150cv
    A reprogramação de modulo parece que faz aumentar a pressão da turbina automaticamente correto?

    Minha dúvida seria: eu anulei a WASTERGATE (travei) e esta dando
    1,2 a 1,4 bar (uso K03)

    Quando eu for "REMAPEAR"
    (não e chip não)
    O remapeamento vai se ADEQUAR a pressão já travada da turbina ?
    Ou tenho de destravar watergater

    Ou terei

    ResponderExcluir
  25. eu tem um áudio a3 ano 2001 --1,8 -20 v -150cv gotaria de saber oque presizo para passar ele para 180 cv .Luiz

    ResponderExcluir